ESCRITOS

Você diz que eu choro fácil
mas como não chorar de emoção
ao poder ouvir um Mestre
um artista humano
que se enredou a vida inteira
nessas seis cordas
e foi abrindo caminhos
para ele e para outros
e foi descobrindo o mundo graças a essa caixa de madeira
amarrada com seis cordas e com o coração?

Como não chorar
se está acontecendo essa maravilha
essa benção
esse teu estender a mão
tuas mãos para mim
e me permitir juntar
misturar o som de minhas cordas com as tuas?

Como não chorar
quando essa convivência me impulsiona
para uma entrega maior à música?
Como não chorar de agradecimento
à vida
à música
e ao violão
por me permitir voltar
me dar espaço e tempo
para me dedicar
após tantas separações
tantos abandonos desesperados
por não conseguir soar essas cordas
por pura falta de humildade e de fé?

E como não chorar de gratidão e alegria
por essa caixa de madeira amarrada com seis cordas
se por sua boca sai o som que é meu caminho e descoberta
que sempre me recebe com calor
com seu amado som respondendo-me
revelando-me a mim mesma
e ensinando-me a viver
e a amar?

É Turibio querido
quero sempre ter lágrimas para poder chorar assim!


Maria
Rio, março-maio de 2013


 

página inicial | escritos